Casa de Hades – Capítulo XII – Morgan

A filha de Hecate só entendeu o real significado das palavras de Nico quando ouviu um rugido estranhamente familiar: Quimeras. Não ventava, mas ela sentiu um arrepio na espinha quando pensou que o filho de Hades teria que lutar sozinho da maneira como estava. Mais do que isso, quando pensava que ele havia escolhido lutar sozinho. Terminando de desenhar o círculo na rocha com pressa ela procurava equilibrar o frasco com terra e o frasco com água em rachaduras no paredão de pedra, ficando aflita com os sons do combate. Repetia mentalmente para si mesma que se concentrasse, mas era difícil.

Quando finalmente terminou, no que parecia ter sido um processo infinitamente mais longo do que todas as outras marcações que tinha feito antes, gritou a plenos pulmões, pedindo para ser içada de volta, mesmo sabendo que provavelmente não seria atendida. Pela primeira vez em muito tempo, ela não sabia o que fazer. Tentou escalar o paredão rochoso aproveitando a corda que tinha na cintura, mas o esforço fez com que sua perna latejasse de dor… descer havia sido infinitamente mais simples. Respirando fundo e decidindo tentar ignorar a dor ela conseguiu dar dois passos para cima antes de se assustar e cair de volta para onde estivera até então: Nico tinha acabado no chão lá em cima, a cabeça para fora do penhasco enquanto mantinha as presas da Quimera longe de seu pescoço com sua espada de Ferro Negro.

– Hmm… e aí…? – a voz do rapaz falhava e um filete de suor escorria pela têmpora dele
– Tendo um dia difícil? – ela cruzou os braços em frente ao peito, erguendo uma sobrancelha
– Pode-se dizer que sim… – ele lutava para manter a Quimera quieta
– Se quiser ajuda, é só pedir.
– Obrigado pela consideração.

Continuar a ler

Anúncios