Casa de Hades – Capítulo XIV – Leo

A manhã estava nascendo quando Leo iniciou a instalação da Esfera de Arquimedes. Tinha sido muito difícil trabalhar com todos aqueles ataques e confusões, mas no geral ele tinha sido deixado de lado para cuidar só do aprimoramento do Argus II. O menino estava cansado e frustrado com a própria demora no trabalho. Pensava o tempo que teriam quer fazer o possível e o impossível algumas vezes para chegar à tempo no Monte Pindo, sendo que nem faziam ideia do tipo de adversidade que encontrariam pelo caminho. As coisas não estavam boas, nem um pouco boas.

Frank ainda estava de vigia no convés, mas todos os outros semideuses dormiam. Tinham conseguido, depois de horas de trabalho, consertar o convés quebrado e limpar grande parte do andar debaixo, que ainda tinha resíduos de pedras, poeira, madeira lascada, reboco e água. Leo queria ter tudo pronto para quando despertassem. O mecanismo da esfera era relativamente simples para a quantidade de tarefas complicadas que ele vira aquilo ser capaz de desempenhar e por isso mesmo ele queria entender mais sobre o funcionamento para então instalar no painel de controle do navio. Não seria agradável se o navio fosse pelos ares, ou ejetasse os semideuses, ou ainda se transformasse num robô gigante (muito embora o conceito de “robô gigante” agradasse muito o filho de Hefesto, em essência). Quando finalmente deu seu trabalho de pesquisa por completo, começou a instalação da peça. Fio por fio, fez todas as ligações necessárias. Observou as costas de Frank por um momento, pensando se devia avisar alguém que estava para ligar a esfera ao sistema do navio. Por outro lado, estavam todos tão cansados que seria maldade acordá-los por tão pouco, especialmente se tudo desse certo. Além do mais, se não desse certo, talvez nem precisasse acordar ninguém. Respirou fundo e ligou a chave da Esfera de Arquimedes, segurando a respiração. Com um crescendo, uma série de estalos e cliques espalharam-se por todo o Argus II e Leo podia ouvir os geradores de energia do navio a toda força. Festus disse algo com seus estalos e rangidos que o filho de Hefesto só pode supor ser um mas o que diabos está acontecendo aqui?
Frank voltou-se para Leo com uma expressão tal qual os estalos de Festus. Quando os barulhos finalmente cessaram, os controles de Wii que Leo usava agora dividiam espaço com botões, alavancas e chaves saídas da Esfera.

– O que foi isso?
– A Esfera de Arquimedes está no lugar, finalmente!
– Está?! – o rapaz estava surpreso – Isso é demais! E… o que ela vai fazer agora?

Continuar a ler

Anúncios