Como Nico conheceu Morgan – Pt. III

Parte III – De Toledo à Detroit
Terminal de Ônibus de Detroit, 13h

Enfim, o tão temido momento onde seus caminhos separariam-se chegou. Nico não estava muito confortável com a perspectiva do adeus e Morgan não parecia melhor do que ele nesse sentido. Eles almoçaram juntos numa lanchonete perto da estação, conversando e fazendo piada sobre suas partidas de Mitomagia no ônibus. Cada vez que um assunto aproximava-se do fim, procuravam iniciar um novo, mas não podiam continuar com aquilo para sempre. Finalmente deixaram a lanchonete. O menino virou-se para sua companheira de viagem, mas ela foi mais rápida na despedida, abraçando-o.

– Boa sorte em sua busca. – a voz dela ressoava baixo, próxima ao ouvido de Nico, fazendo-o se arrepiar de leve, mas ela o soltou em seguida sem preceber isso, sorrindo – e se precisar de algo, já sabe.

E partiu, despedindo-se animadamente. Nico permaneceu parado alguns segundos, superando aquele excesso de informações. Quando finalmente colocou-se a caminho da Igreja de St. Anne percebeu um papel em seu bolso. Surpreso e curioso, desembrulhou. Ele não aquela caligrafia, mas era evidentemente de Morgan, informando o endereço onde buscaria seu livro e que ficaria na cidade até o anoitecer, quando faria o trajeto de volta a Nova York. Devolveu o bilhete ao bolso. Precisava se apressar até a igreja.
Continuar a ler

Anúncios

A Casa de Hades – Capitulo VII – Morgan

Horas antes, quando Morgan tinha saído para verificar quais pontos utilizaria na barreira mágica do acampamento, ela percebeu uma perturbação anormal na direção do vento. Se ela ainda se lembrava bem de seus treinos com sua mestra, aquilo significava que os espíritos da natureza estavam se movendo, embora ela não soubesse para onde ou para quê. Quando ela voltou para o acampamento os ânimos não eram os melhores, mas também pudera, com aquela tempestade toda caindo sem parar. Ela achou melhor não fazer perguntas desnecessárias, e quando Leo pediu a todos que ajudassem a consertar o convés, ela o fez sem questionar a pressa repentina.

E agora ela estava com sua espingarda de cano cerrado com a munição não letal de borracha apontada na direção do rosto de Jason Grace, o pretor bully, exigindo que ele retirasse as ofensas contra seus irmãos naquele instante, ou ela estaria disposta a colocar “não letal” à prova, com tiros a queima roupa. Continuar a ler

A Casa de Hades – Capítulo V – Reyna

Era uma noite escura e quase sem estrelas no céu. No horizonte, uma singela faixa cinzenta deixava claro de que estavam próximos de uma cidade grande, no caso Nova York. Long Island era um local incrivelmente bonito e agradável e mesmo longe do praia era possível sentir um levíssimo aroma de maresia. Fechada dentro da tenda da reunião de guerra, Reyna gostaria de ser capaz de pensar melhor a respeito do que discutiam, mas tinham andado em círculos em diversos assuntos e avançado inutilmente na madrugada até a exaustão. Os batedores retornavam aos poucos, tímidos, decepcionados por uma incursão sem resultados sobre a localização do Acampamento Meio-Sangue. No acampamento formado por tendas perfeitamente homogêneas, de tecido vermelho e dourado, onde estandartes tremulavam imponentemente com o vento marítimo, o espírito que se via nos soldados romanos não era exatamente de imponência ou bravura. Estavam cansados da longa viagem. Mentalmente cansados da longa falta de resultados palpáveis.

Quando os últimos membros do conselho de guerra deixaram a tenda, tudo que Reyna queria era dormir. Ela estava na vanguarda do grupo que atacaria o Acampamento Meio-Sangue, junto com seus melhores semideuses. Contudo, cada resultado negativo dos batedores sobre a localização exata do acampamento fazia com que a Pretora perguntasse a si mesma se a falta de resultados não seria um sinal dos deuses para desistirem daquela incursão movida pela vingança. Ela estava pronta para dormir quando ouviu uma voz conhecida do lado de fora da tenda; Samantha, a última dos batedores a retornar naquela noite. Continuar a ler

Lançada a sinopse e a capa nacional de "A Casa de Hades"

Salve semideuses! Foi divulgado nesse fim de semana pela editora Intrínseca a a capa nacional, bem como a sinopse  do livro A Casa de Hades da saga Os Herois do Olimpo. O livro será lançado no dia 8 de Outubro de 2013, juntamente com a publicação da edição americana, conforme já havia sido prometido pela editora. Confira abaixo a capa e sinopse! \o\

A Casa de Hades – Capítulo IV – Leo

Leo estava vivendo um breve dilema interno: não sabia se entrava em desespero e lágrimas por causa da pedra que afundara um pedaço do convés do Argo II, não sabia se jogava a pedra de volta lá embaixo, não sabia se ativava as armas ou então se manobrava o navio voador para fora da rota das novas pedras que despontavam no horizonte. Decidindo pelo mais seguro e óbvio virou o navio todo a estibordo, tendo apenas tempo de gritar para seus amigos se segurarem em algo.

Da cabine, Hazel, Jason e Piper despontaram, tentando se manter equilibrados no convés que agora estava virado a quase 45°. Morgan escorregou pelo convés com a virada brusca, mas foi segura pelo treinador Hedge, que se lançara de barriga pelo convés como um pinguim na neve, alcançando a mão da menina e se mantendo a bordo com a murada. Leo fez mais uma manobra, desta vez para bombordo, quase derrubando Nico (que tinha se segurado a tempo na murada, mas fora pego quase desprevenido na nova virada).

– Valdez, é melhor você se decidir ou eu vou enfiar esses controles na sua…
– Pedra no convés!! – Morgan puxou o treinador, também impedindo-o de continuar a frase
– Jason, você não pode mantê-las afastadas?! – Frank surgiu, finalmente, mas sua camiseta estava suja de molho barbecue e queijo
– Deixa comigo!!
– Almirante Leo, canhões! Como eu opero?! – Morgan subia até a ponte do navio, onde Leo estava
– Aqui, pega esse controle e essa mira! – ele jogou na mão da moça um controle de Wii preto e um capacete
– E como funciona?
– Mire e atire!! Continuar a ler